Pages Menu

Notícias recentes

Balança comercial: quarta semana de março tem superávit de US$ 721 milhões

Com exportações no valor de US$ 4,340 bilhões e importações de US$ 3,619 bilhões, a balança comercial brasileira da quarta semana de março de 2019 teve superávit de US$ 721 milhões. No mês, as vendas ao exterior somam US$ 14,252 bilhões e as compras, US$ 9,998 bilhões, com saldo positivo de US$ 4,254 bilhões. No ano, os embarques de produtos brasileiros aos mercados externos totalizam US$ 49,158 bilhões e os desembarques de produtos estrangeiros no Brasil são de US$ 39,006 bilhões, com saldo positivo de US$ 10,152 bilhões.

A média das exportações da quarta semana foi de US$ 868 milhões, 21,2% abaixo da média de US$ 1,101 bilhão até a terceira semana do mês, em razão da queda das vendas das três categorias de produtos: básicos (-24,1%; por conta de petróleo em bruto, soja em grão, farelo de soja, café em grão, carnes de frango e bovina); manufaturados (-23%, em função de máquinas e aparelhos para terraplanagem, automóveis de passageiros, óxidos e hidróxidos de alumínio, veículos de carga, tubos flexíveis de ferro ou aço) e produtos semimanufaturados (-1,5%, em consequência da redução nas vendas de ferro-ligas, ouro em formas semimanufaturadas, alumínio em bruto, madeira serrada ou fendida, açúcar em bruto).

Leia mais

BNDES anuncia nova linha de crédito para micro e pequena empresas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou nova linha de financiamento, a BNDES Crédito Pequenas Empresas, voltada para micro e pequenos empreendimentos.

Segundo o presidente da instituição, Joaquim Levy, o banco está atento aos sinais de retomada da economia e decidiu criar uma linha de crédito mais simples e mais ágil para que micro e pequenas empresas tenham condições de tocar novos empreendimentos. “Não [é] só para comprar máquinas, mas para todas as atividades necessárias para ampliar, renovar ou melhorar seus serviços”, disse Levy. “As micro e pequenas empresas são fundamentais para a economia. São o melhor sinal de saúde de uma economia”, acrescentou.

O novo instrumento de financiamento tem como foco a geração de postos de trabalho e a ampliação da concessão de crédito para empresas de menor porte, responsáveis por mais de 50% dos empregos formais no Brasil. O trabalho será feito pelo BNDES em parceria com os bancos comerciais, de desenvolvimento e cooperativos, que operam na ponta da cadeia financeira, em todas as regiões brasileiras.

Leia mais

CNI apresenta 110 propostas para fortalecer comércio exterior brasileiro

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou um conjunto de 110 propostas para os ministérios da Economia (ME) e das Relações Exteriores (MRE) para fortalecer o comércio exterior brasileiro e criar uma cultura pró-exportação.

O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, lembra que apesar de o Brasil ser a 9º maior economia do mundo, é apenas o 26º maior exportador e o 29º maior importador.

“Um país mais integrado ao mundo produz, inova e gera mais empregos. A retomada sustentada do crescimento econômico e o aumento da competitividade da indústria requerem maior e melhor inserção do Brasil no mercado internacional”, explica o diretor da CNI.

Leia mais

Missões para as feiras de Hanover e Beauty World Middle East

CNI e Apex-Brasil abrem inscrições para empresários participarem de missões a dois grandes eventos dos setores de tecnologia e beleza na Alemanha e em Dubai

Estão abertas as inscrições para empresários brasileiros interessados em participar de missões prospectivas para duas grandes feiras internacionais realizadas em abril. A Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio da Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) lideram delegações empresariais brasileiras, com programação incluindo visitas técnicas e encontros de negócios.

A Feira Industrial de Hanôver, na Alemanha, é palco anual do lançamento de novas tecnologias para o setor produtivo, sobretudo em automação, digitalização e energia. Para se ter ideia da importância do evento, foi lá que o termo Indústria 4.0 ganhou força e se popularizou. Neste ano, o evento ocorre entre os dias 1 e 5 de abril. Se repetir a repercussão de 2018, a Feira de Hanôver vai receber pelo menos 220 mil visitantes e 6,5 mil expositores. Para fazer a sua inscrição, acesse o formulário online.

Leia mais

Vinícolas brasileiras negociam US$ 2 milhões em feira na Alemanha

Os mais de 500 atendimentos feitos pelas 11 vinícolas brasileiras com compradores de 20 países, no estande coletivo do Wines of Brasil, durante os três dias de ProWein – encerrada ontem (19) –, em Düsseldorf, na Alemanha, podem resultar em US$ 2 milhões em negócios nos próximos 12 meses. A projeção é cerca de 25% superior à edição anterior, realizada em 2018. A presença brasileira na principal feira de vinhos do mundo foi viabilizada pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), com o apoio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul (Sedetur/RS).

Na 15ª participação consecutiva do Wines of Brasil no evento, o país apresentou o novo posicionamento setorial, ‘A Sparkling New World’ (Espumantes do Novo Mundo, em tradução livre), apostando na promoção exclusiva das borbulhas verde-amarelas. Neste ano, no estande coletivo estavam presentes as vinícolas Aurora, Bueno Wines, Casa Perini, Casa Valduga, Garibaldi, Lidio Carraro, Miolo, Peterlongo, Pizzato, Salton e Zanlorenzi.

Leia mais

Estados Unidos enviarão equipe de inspeção ao Brasil para autorizar importação de carne in natura

Governo brasileiro criará cota para importação de trigo. Tereza Cristina se reúne com secretário de Agricultura dos

Após reunião nesta terça-feira (19) entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump, o governo dos Estados Unidos divulgou comunicado conjunto informando que concordou em dar novos passos no sentido de liberar a compra de carne in natura exportada pelo Brasil. De acordo com nota, será agendada uma visita técnica do Serviço de Inspeção e Segurança Alimentar do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos para auditar o sistema de inspeção de carne bovina do Brasil, assim que o governo brasileiro tiver fornecido a documentação de segurança alimentar.

Além disso, Trump e Bolsonaro instruíram suas equipes a negociar um Acordo de Reconhecimento Mútuo em relação aos seus programas de comércio confiável (Trusted Trader), o que reduzirá os custos de exportação para empresas americanas e brasileiras. Bolsonaro, por sua vez, anunciou que o Brasil criará uma cota tarifária permitindo a importação de 750 mil toneladas anuais de trigo com tarifa zero. Além disso, de acordo com o comunicado, os Estados Unidos e o Brasil concordaram com as condições científicas para permitir a importação de carne suína dos Estados Unidos.

Leia mais

Para CNI, apoio dos EUA acelera entrada do Brasil na OCDE

O apoio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é decisivo para a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para os empresários, o ingresso na organização vai acelerar o processo de reformas estruturais e aperfeiçoar a qualidade regulatória do país, condições necessárias para melhorar o ambiente de negócios e promover o crescimento econômico.

“O Brasil avançou muito na convergência de políticas para participar da OCDE. É o país não-membro com a maior adesão aos instrumentos da organização – já aderiu a cerca de 30% dos instrumentos que envolvem, por exemplo, comércio, tributação e governança. Além disso, o governo brasileiro está comprometido com as reformas da previdência e reconhece a importância da reforma tributária”, disse a gerente de Política Comercial da CNI, Constanza Negri.

Em declaração conjunta hoje (19), na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ao lado do presidente Jair Bolsonaro que apoiará o ingresso do Brasil na OCDE.

Leia mais

Exportação do agronegócio registra crescimento de 15,6%

As exportações do complexo soja (grãos, farelo e óleo) suplantaram pela primeira vez a barreira dos US$ 2 bilhões para o mês de fevereiro, registrando US$ 2,58 bilhões. O grande destaque foi a venda de soja em grão, com 6,1 milhões de toneladas. Com esse recorde na quantidade exportada (+112,7%), mesmo com a queda de 5,1% no preço médio, o valor da soja foi recorde no mês, atingindo US$ 2,21 bilhões (+101,8%).

Esse desempenho contribuiu para que as exportações do agronegócio crescessem de US$ 6,27 bilhões para US$ 7,25 bilhões no mês passado. O incremento das exportações em 15,6% ocorreu, especialmente, devido à elevação de 20,8% no índice de quantum das exportações. As importações também aumentaram, passando de US$ 1,08 bilhão para US$ 1,20 bilhão em fevereiro deste ano (+10,4%).

A participação do agronegócio nas exportações totais do Brasil em fevereiro atingiu 44,5%, de acordo com dados da Balança Comercial do Agronegócio, elaborados pela Secretaria Comercial e Relações Internacionais, foi feita nesta segunda-feira (18).

Leia mais

Balança comercial tem superávit de US$ 1,185 bilhão na terceira semana de março

Com exportações de US$ 4,816 bilhões e importações de US$ 3,631 bilhões, a terceira semana de março de 2019 teve superávit de US$ 1,185 bilhão. No mês, as vendas externas brasileiras somam US$ 9,923 bilhões e as compras no exterior totalizam US$ 6,379 bilhões, com saldo positivo de US$ 3,544 bilhões. No ano, as os embarques são de US$ 44,829 bilhões e as importações chegam a US$ 35,387 bilhões, com saldo positivo de US$ 9,443 bilhões.

A média das exportações da terceira semana chegou a US$ 963,2 milhões, 24,6% abaixo da média de US$ 1,276 bilhão registrada até a segunda semana do mês, em razão da queda nas exportações das três categorias de produtos: manufaturados (-43%; em função, principalmente, de máquinas e aparelhos para terraplanagem, aviões, automóveis de passageiros, motores para veículos automóveis e suas partes, obras de ferro ou aço), semimanufaturados (-40,6%; ferro-ligas, açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas, couros e peles, depilados, semimanufaturados de ferro e aço) e básicos (-6,1%; minério de ferro, carnes de frango e bovina, café em grão, fumo em folhas, minério de cobre e concentrados).

Leia mais

Canal Brazil Export

Outros
  • Fruit Attraction 2016
  • Viernes 17 de Octubre
  • Jueves 16 de Outubro
  • Miércoles 15 de Outubro